A Federação Internacional da Indústria Fonográfica (IFPI, em Inglês) aponta o Brasil e a Espanha como países com maiores índices de pirataria de música na rede. De acordo com a publicação, 44% dos internautas brasileiros baixam músicas protegidas pelo menos uma vez ao mês. A título de comparação, a média nos cinco países da União Européia com índices mais altos é de 23%.

Como reflexo dos altos índices de pirataria, foi verificada uma queda nas vendas de discos em escala global. Dentre os 50 álbuns mais vendidos no mundo, houve uma queda de 77% no volume de vendas entre 2003 e 2010. Até mesmo o público dos shows reduziu.

Fonte: Techlider