Cientistas do Japão e dos EUA transmitem dados a mais de 100 terabits por segundo via fibra ótica

segunda-feira, 2 de maio de 2011


Velocidade permitiria baixar 3 meses de vídeos em alta definição em apenas 1 segundo

Técnicas diferentes foram usadas nos dois países

Técnicas diferentes foram usadas nos dois países

Cientistas dos EUA e do Japão conseguiram quebrar a barreira dos 100 terabits por segundo transferidos via cabos de fibra ótica. Dita assim, da forma mais simples possível, o feito parece grandioso, mas não dá para se ter uma noção exata do por quê, certo?

Então se imagine baixando o conteúdo equivalente a três meses consecutivos de vídeos em HD em apenas um segundo. É mais ou menos isso que esse número significa.

As duas equipes quebraram a marca recorde usando duas técnicas diferentes.

Na terra do Tio Sam, pesquisadores da NEC atingiram 101,7 terabits por segundo usando uma combinação de pulsos de 370 lasers diferentes convergindo em um único “ponto de saída”. Cada um desses lasers emitia dados em frequências diferentes dentro do espectro infravermelho, o que permitiu que os 370 lasers fossem disparados ao mesmo tempo.

Do outro lado, na Terra do Sol Nascente, cientistas do Instituto de Tecnologias da Informação e Comunicação conseguiram 109 terabits partindo de uma observação simples: atualmente os dados transmitidos via fibra ótica viajam por apenas um núcleo que conduz a luz. Logicamente, aumentando-se o número de núcleos, aumenta-se a capacidade de transmissão. Os japoneses usaram sete núcleos na experiência.

A dificuldade agora é encontrar uma maneira para implementar essas tecnologias e torná-las viáves comercialmente – isso demandaria um grande esforço de atualização de infraestrutura, o que demandará tempo e, principalmente, dinheiro.

Fonte: MSN Tecnologia

 
© 2009 | MALINUS | Por Templates para Você