Menino de 15 anos cria sensor de papel que identifica o câncer

sábado, 26 de maio de 2012




Jack Andrava, um menino de apenas 15 anos, é um gênio. Ele apresentou na Feira de Ciência e Engenharia da Intel um sensor de câncer pancreático que é até 168 vezes mais rápido do que os aparelhos convencionais para detectar a doença. E a ferramenta é feita de papel.
Além disso, a invenção é 400 vezes mais sensitiva, 90% mais precisa e custa 26.000 vezes menos do que os outros tipos de ferramentas criados para a função.
Jack diz que começou a pesquisar sobre isso depois que um amigo de seu irmão morreu de câncer pancreático. E depois de investigar “toneladas de material”, segundo ele mesmo, a ideia veio à tona.
Este sensor pode testar urina e sangue, e caso ele dê caso positivo para a proteína mesotelina, o paciente tem câncer no pâncreas. Trata-se de uma tira de papel que pode detectar a doença antes mesmo dela ser invasiva.
O pequeno gênio disse que já inventou outras coisas antes, mas para o ramo do meio ambiente. Ele criou uma bactéria brilhante que determina onde há poluição na água.
Com os US$ 75 mil que ele ganhou do primeiro lugar na Feira de Ciência e Engenharia da Intel, ele pretende aplicar nos estudos. Jack Andrava pretende ser um patologista.

Fonte: Techguru

 
© 2009 | MALINUS | Por Templates para Você